Call to action: o que é e como fazer um CTA que gere resultados

Pessoas apontando para alguns gráficos.
4 minutos para ler

Um Call to Action efetivo não pode fazer o leitor pensar muito.

O Call to Action (CTA), que é traduzido como Chamada para a Ação, é uma construção textual focada em direcionar o cliente para a realização de determinado objetivo.

Podemos citar vários exemplos disso, como seguir nas redes sociais, entrar em contato, fazer uma compra, assinar a newsletter, entre outros.

Porém, somente ter esse elemento presente no seu conteúdo não é garantia de sucesso. Para isso, é necessário utilizá-lo com sabedoria e foco na geração de resultados. Conferindo as dicas abaixo, você aprenderá como fazer isso de forma simples e capaz de tornar esse elemento um importante aliado.

Duas pessoas sentadas em uma mesa. Uma delas em seu notebook e outra no smartphone.
Um Call to Action não pode fazer o leitor pensar muito.

Criar um senso de urgência

Um Call to Action efetivo não pode fazer o leitor pensar muito e muito menos dar margem para ele realizar a ação depois. Então, é necessário despertar um senso de urgência. Ou seja, o lead terá que fazer agora ou correrá riscos de perder aquela oportunidade.

A persuasão é um elemento importante dentro do texto, e não seria na etapa de conclusão que ela estaria ausente. Assim, vale dizer que uma chamada efetiva é o que vai fazer valer todo o esforço na hora de produzir um conteúdo valioso.

Realizar testes A/B

Testes A/B são feitos quando há mais de uma versão disponível e analisada por grupos diferentes de usuários (A e B). Portanto essa medida serve para verificar, na prática, qual das opções consegue gerar maior engajamento. Testar Call to Action é a melhor forma de descobrir qual padrão se estabelece melhor junto ao seu público.

Medidas como essas trarão dados mais específicos. Portanto é sabido que um modelo de CTA que funciona bem para uma empresa pode não funcionar com a mesma eficácia na estratégia da outra. O que ressalta a importância de investir nos testes.

Ilustração com objetos referentes a informática com a palavra marketing no meio
Um Call to Action efetivo não pode fazer o leitor pensar muito.

Usar verbos no imperativo

Ao elaborar um Call to Action, não se pode fazer um simples pedido ou convite. Afinal é necessário trazer um toque imperativo, ou seja, como se estivesse dando uma ordem. Porém, deve-se ter cuidado para usar o tom correto e não parecer agressivo ou invasivo.

Uma maneira simples de resolver essa questão é formar frases curtas e objetivas com verbos imperativos. Esses verbos trazem consigo essa função, tornando mais natural a presença de uma “ordem”.

Não fazer chamadas longas

Chamadas longas podem cansar o usuário e dificultar o entendimento dele sobre o que está sendo dito. Então, é inviável utilizá-las. O mesmo vale para chamadas muitos curtas, porque acabam parecendo simples demais.

Os testes mencionados acima ajudam a entender qual o tamanho ideal. Pois os conceitos sobre pequeno e grande podem variar conforme a situação. Ao encontrar o padrão ideal de tamanho, se torna mais fácil replicá-lo independentemente do objetivo do CTA.

Assim ao descobrir como utilizar o Call to Action, você aprende não só a fechar o seu texto com chave de ouro, mas também a trazer mais riqueza para todo o conteúdo.

Uma estratégia de sucesso depende da qualidade com que a interligação entre as ações é feita. E nesse cenário, a chamada é um dos elementos mais importantes.

Enfim, e você, como elabora um Call to Action? Deixe um comentário e divida a sua experiência conosco! Afinal queremos saber como esse elemento é trabalhado dentro da sua estratégia.

Imagens: Apontando, marketing.

ebook sobre tendencias marketing digitalPowered by Rock Convert

Related Post

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-